Cada Escolha uma Renúncia

On 11 de julho de 2017 by Administrador

Cada Escolha uma renúncia
Em tudo que fazemos no Instituto de Desenvolvimento de Talentos começamos com a frase: O que vamos escolher o que vamos renunciar.
Assim, desenvolvemos os pilares que sustentam esse Instituto:

1 – Princípios Universais Grandes empresas tem desenvolvido seus códigos de conduta porque ao longo do tempo estamos nos afastando dos princípios que norteam uma relação, seja ela pessoal ou institucional.Os Princípios são imutáveis e os valores são culturais e variáveis. Precisamos reaprender os princípios para inter-relacionar aos valores e traçarmos uma linha de ação correta.

2 – Inteligências Múltiplas Imagine que sua mente está organizada por assuntos distribuídos em 9 computadores. Assim teremos um computador lógico-matemático, outro linguístico e por ai vai. Gardner fez uma proposta de inteligência que muito nos interessa e enquadrou 9 inteligência que podem facilitar o entendimento do aprendizado e resolver muitos problemas relacionados a autoestima. Falo isso, porque entender que seu talento se enquadra em uma inteligência é essencial para liberação do aprendizado em todas as áreas. Nossos talentos, muitas vezes são considerados inúteis para a sociedade onde vivemos, por exemplo, o talento de trabalhar com imagens 3D em um local onde não tem luz, que utilidade teria? Mas a inteligência espacial, qualidade essencial para quem trabalha com imagens, seria de grande valia no mesmo lugar.

3 – Conhecimentos aplicado na pratica A parti de 2005 iniciou-se nos Estados Unidos o Movimento Maker, as coisas estavam indo tanto para o lado virtual que as pessoas viram a necessidade da prática, criando a partir de uma ideia coisas que facilitassem a sua vida e de outras pessoas .
Mas em 2008 a Europa passava por uma transformação no ensino superior: Processo de Bolonha, resumindo o problema eles tinham era que um indivíduo não conseguia fazer um curso superior na mesma área de conhecimento em mais de um país. Assim foi encomendado um estudo para saber o que é comum em todas as áreas do conhecimento e o resultado está descrito nos documentos da União Europeia enfatizando o seguinte: é comum o fazer artístico. O fazer diz respeito ao criar, construir prototipar, errar para acertar e experimentar na prática os processos de criação

João Henrique Zanoni

Comentários desabilitados